A verdadeira conversão

A verdadeira conversão

A verdadeira conversão

 

 Pe. Marcelo Aquino, O. Carm.

 

Avida do cristão convicto de sua fé deve ser uma incansável busca da conversão, se a vida do cristão não tem como parâmetro a vida santa, a conversão sincera, não é digna desse nome (cristão).

A conversão deve ser a primeira busca de cada um de nós, sobretudo, católicos herdeiros da verdadeira fé, precisamos nos empenhar na conversão de vida. Lutar contra os pecados é um exercício que devemos empreender sempre, e nunca se deixar abater quando cairmos no pecado, o que importa é levantar-se e recomeçar a vida pelo sacramento da penitência.

Deus deseja nos salvar, Ele preparou um lugar para cada um de seus filhos na morada é preciso fazer tudo para sermos dignos desta morada, fazei penitência, rezai, confessai e comungai, esses são as armas da fé católica que nós nunca devemos nos esquecer de fazer uso.

A conversão será verdadeira à medida que nos tornarmos cada vez mais para crescer espiritualmente, e os instrumentos para isso nós temos, a busca da vida interior, o que isso significa? Significa que precisamos nos preocupar tanto com o interior como o exterior, nosso ser deve se comunicar com Deus quando estamos, é necessário falar com Deus sempre isso é diálogo de amor.

Para estimular a verdadeira conversão semper pensar no bem do norte da Igreja e do povo de Deus, se aquilo que não posso fazer esforços para trás espiritual a Igreja devo empreender com todas as minhas forças, não podemos viver alheio ao que pode acontecer a Igreja por meio de nossa conduta.

O pecado da omissão nos grandes prejuízos, por exemplo, se você sabe que tem um pecador que só celebra a missa dia de domingo e você sabe que ele está errado, seu, não tem medo de receber impropérios dele, diga: o senhor está operando em prejuízo da Igreja. Veja o que são Beda o venerável disse a respeito disso: “Se o sacerdote de celebrar, sem legítimo impedimento, priva a santíssima Trindade de glória, os anjos de alegria, os pecadores de perdão, os justos de proteção, as almas do purgatório de negociado, a Igreja de intercessão, ea si mesmo de medicina”.[1]

A busca da conversão verdadeira, é a busca da santidade não se desanime se você tem muitas dificuldades nesta, Deus está contigo, mas é necessário lutar sempre.

Se cair lembre-se de levantar mesmo antes de se confessar comece a já fazer penitência, esforce o espírito para obter a contrição perfeita, jamais deixe que a vergonha te impeça de confessar seus pecados.

Quando nós não necessariamente nos parecemos para obter a conversão nos sentimos mal, por exemplo, numa pregação quando ouvimos o que nos corrige, provavelmente, provavelmente e não enxergamos a correção que tem a missão de nos corrigir, os sacerdotes.

Quando descobrimos o sabor da conversão, nossa vida ganha novos são, a vida cristã quando vivida segundo os desígnios de Deus, ela se torna um jardim florido e de odor agradabilíssimo.

Fujamos, pois das coisas fúteis que nos impedem de servir a Deus na Igreja, fujamos de todos os caminhos que nos impulsionam para o contrário que Deus nos pede, fujamos de todos os “amigos” que tentam nos arrastar para a perdição.

A vida devota é a chama do amor de Deus, nos impele a buscar a perfeição no caminho de Jesus, a vida devota será cada vez mais profícua em que desejamos uma verdadeira mudança de vida, enquanto ela desejamos gozar a Deus.

[1] Mensis Eucharistico – Mês Eucarístico Edições CNBB 2012.

Ajude-nos a evangelizar. Compartilhe!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Redes Sociais